Google+ Followers

domingo, 8 de janeiro de 2012

E QUANTO A MUSICA EM EXCESSO NA IGREJA?


  Sou defensora da musica usada em confluência com a Palavra.
As mensagens cantadas são maravilhosas. Deus fala também através delas. Concordo!
  Eu seria hipocrita se fosse contra o louvor na igreja. Porque um dos momentos que mais gosto no culto, e quando a banda louva. Porque a maioria dos hinos são de adoração. E neste momento que tenho a oportunidade de entrar diante do Trono de Deus 
e adorar a Majestade santa do Senhor.

  O louvor a Deus, no inicio do culto, e responsável por trazer a gloria de Deus no hambiente. Salmos 22.3: “tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel”. 
(Colossenses 3.16 A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.)

O livro dos Salmos está repleto de chamados ao cântico e ao uso de instrumentos musicais (Sl. 147.1,7; 149.1,3; 150.3-5, etc.). 
Vemos também na Bíblia que o exercício da atividade musical era encarado muito seriamente, com responsabilidade (1 Cr. 25.6,7; Sl. 33.3)
 A palavra mostra claramente que Deus habita entre os louvores. O que não pode e a musica ocupar 80% do culto. Muito menos ser usada como entretenimento.

Muitas igrejas caíram na balela do diabo, e abandonaram a pregação   ousada. Aquelas pregações que ficaram no passado, se virem para o presente não farao ‘sussesso’ algum. Porque serão tidas como pregação de puritanos.
Se raramente temos uma oportunidade na igreja, temos que falar apenas o que o pastor quer que fale, (para não assustar os membros) Nao o que Deus manda, caso contrario corremos o risco de não termos mais oportunidade.
 A verdade e que em muitas igrejas nos dias de hoje, se Jesus estivesse presente como homem, não aceitariam Suas pregações.
Ele seria banido delas. Porque muitos diriam que Ele esta ficando fanático. Jô 6.60-66.

Jesus também, dava mais ênfase ‘a Palavra do que a musica.
Ele não estava preocupado com a quantidade, mas com a qualidade.
Com isso, não quero dizer que não devamos primar por uma igreja cheia, mas vermos se o alimento oferecido e nutritivo.
Quem não se alimenta bem, terá problemas de inanição , que poderá leva-lo ate a morte pelo enfraquecimento.
  Se para o nosso corpo o alimento e importante, para o nosso espírito acontece o mesmo. Espiritualmente o homem também não pode ficar sem se alimentar. A própria Bíblia nos mostra isso (Mateus 4.4)

Certa vez, um determinado pastor fez a sequinte declaração; - Muitas pessoas vem de longe para se alimentarem em minha igreja. E o que elas dizem freqüentemente e que em suas igrejas há muito louvor, mas pouco alimento da Palavra.
(convem aqui lembrar que não e o louvor que prepara o povo para entrar no céu.
Mas a Palavra.)

1Co 10.3,4 diz que Cristo era a comida e a bebida espiritual para os israelitas no deserto, quando saíram do Egito (ex 16.15-17)(Jô 6.51).
Quem se alimenta de Cristo não quer saber de outro tipo de comida. E quem bebe de Sua água, não quer saber de outro tipo de bebida.

Qualquer pessoa que tem sede espiritual, sente-se como se estivesse num deserto, a qual olhando em volta, não vê uma gota d’agua sequer. No entanto continua andando e, quilômetros adiante encontra uma poça d’agua. Provavelmente esta pessoa vai se atirar com o rosto dentro d’agua, levada pelo desespero. Não se preocuparia em saber se a água e limpa ou não!
Não perseberia se nela existissem parasitas e outros bichos. Sua preocupação será apenas a de saciar sua sede. Porem, se a água não for limpa, com certeza, terá sérios problemas de saúde. (uso isso para representar o que se chama de doenças espirituais.)

Jô 7.37-38 O PAO E A AGUA SÃO ALIMENTOS INDISPENSAVEIS PARA NOSSA EXISTENCIA.

Infelizmente a visão que tenho tido de algumas igrejas atualmente, e que não passam de Clubes Cristãos onde os associados pagam 10% dos que ganham, para irem e ouvirem um home engravatado falar sobre o que elas gostam, e verem pessoas se apresentarem cantando belas faixas musicais!
 No final de ano fazem uma bela confraternização, mas durante o ano inteiro, se tem um irmão necessitado dentro da igreja que lhe pede ajuda, ele mesmo tendo condições de ajudar, não socorre seu próximo. (E para essa classe de cristãos que Jesus falou em Ap 3.16 Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 
Apocalipse 3:16.)

Por outro lado, não existem muitos servos, mas bastante empregados do Evangelho.
O SERVO AGRADA AO SENHOR, E ALIMENTA AS OVELHAS COMO ORDENA SEU SENHOR...MAS O EMPREGADO DIVERTE OS BODES.

Eu, missionária Marinice Alves, quero mais uma vez enfatizar, que não tenho nada contra o louvor na igreja. Mas a partir do momento que o mesmo trás mais entretenimento do que evangelização e alimento para vidas, SE TRATA DE DIVERTIR BODES AO INVES DE ALIMENTAR OVELHAS (como já disse spurgeon)

Eu acredito veemente que o louvor na igreja e necessário, mas a Palavra tem Primazia.


 Veja este comentario de Spurgeon.
     Alimentando as Ovelhas ou Divertindo os Bodes?
Existe um mal entre os que professam pertencer aos arraiais de Cristo, um mal tão grosseiro em sua imprudência, que a maioria dos que possuem pouca visão espiritual dificilmente deixará de perceber. 

Durante as últimas décadas, esse mal tem se desenvolvido em proporções anormais. Tem agido como o fermento, até que toda a massa fique levedada. O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo. 

A igreja abandonou a pregação ousada, como a dos puritanos; em seguida, ela gradualmente amenizou seu testemunho; depois, passou a aceitar e justificar as frivolidades que estavam em voga no mundo, e no passo seguinte, começou a tolerá-las em suas fronteiras; agora, a igreja as adotou sob o pretexto de ganhar as multidões.

Minha primeira contenção é esta: as Escrituras não afirmam, em nenhuma de suas passagens, que prover entretenimento para as pessoas é uma função da igreja. Se esta é uma obra cristã, por que o Senhor Jesus não falou sobre ela? 

“Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15) — isso é bastante claro. Se Ele tivesse acrescentado: “E oferecei entretenimento para aqueles que não gostam do evangelho”, assim teria acontecido. No entanto, tais palavras não se encontram na Bíblia. Sequer ocorreram à mente do Senhor Jesus. E mais: “Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres” (Ef 4.11).Onde aparecem nesse versículo os que providenciariam entretenimento? O Espírito Santo silenciou a respeito deles. Os profetas foram perseguidos porque divertiam as pessoas ou porque recusavam-se a fazê-lo? Os concertos de música não têm um rol de mártires.

Novamente, prover entretenimento está em direto antagonismo ao ensino e à vida de Cristo e de seus apóstolos. Qual era a atitude da igreja em relação ao mundo? “Vós sois o sal”, não o “docinho”, algo que o mundo desprezará. 

Pungente e curta foi a afirmação de nosso Senhor: “Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos” (Lc 9.60). Ele estava falando com terrível seriedade! Se Cristo houvesse introduzido mais elementos brilhantes e agradáveis em seu ministério, teria sido mais popular em seus resultados, porque seus ensinos eram perscrutadores. Não O vejo dizendo: “Pedro, vá atrás do povo e diga-lhe que teremos um culto diferente amanhã, algo atraente e breve, com pouca pregação.
Teremos uma noite agradável para as pessoas. Diga-lhes que com certeza realizaremos esse tipo de culto. Vá logo, Pedro, temos de ganhar as pessoas de alguma maneira!” 
Jesus teve compaixão dos pecadores, lamentou e chorou por eles, mas nunca procurou diverti-los. Em vão, pesquisaremos as cartas do Novo Testamento a fim de encontrar qualquer indício de um evangelho de entretenimento. A mensagem das cartas é: “Retirai-vos, separai-vos e purificai-vos!” Qualquer coisa que tinha a aparência de brincadeira evidentemente foi deixado fora das cartas. 
Os apóstolos tinham confiança irrestrita no evangelho e não utilizavam outros instrumentos. Depois que Pedro e João foram encarcerados por pregarem o evangelho, a igreja se reuniu para orar, mas não suplicaram: “Senhor, concede aos teus servos que, por meio do prudente e discriminado uso da recreação legítima, mostremos a essas pessoas quão felizes nós somos”. Eles não pararam de pregar a Cristo, por isso não tinham tempo para arranjar entretenimento para seus ouvintes. Espalhados por causa da perseguição, foram a muitos lugares pregando o evangelho. Eles “transtornaram o mundo”. Essa é a única diferença! Senhor, limpe a igreja de todo o lixo e baboseira que o diabo impôs sobre ela e traga-nos de volta aos métodos dos apóstolos.
Por último, a missão de prover entretenimento falha em conseguir os resultados desejados. Causa danos entre os novos convertidos. Permitam que falem os negligentes e zombadores, que foram alcançados por um evangelho parcial; 
que falem os cansados e oprimidos que buscaram paz através de um concerto musical. Levante-se e fale o alcoólatra para quem o entretenimento na forma de drama foi um elo no processo de sua conversão! A resposta é óbvia: a missão de prover entretenimento não produz convertidos verdadeiros. A necessidade atual para o ministro do evangelho é uma instrução bíblica fiel, bem como ardente espiritualidade; uma resulta da outra, assim como o fruto procede da raiz. A necessidade de nossa época é a doutrina bíblica, entendida e experimentada de tal modo, que produz devoção verdadeira no íntimo dos convertidos.

Esse comentário foi feito por aquele que é considerado ” O Principe dos Pregadores”, Charles H. Spurgeon. (1834-1892).

Postar um comentário