Google+ Followers

domingo, 5 de abril de 2015

HOJE NÃO.



                                     

Para aquelas famílias que hoje se reuniram para comemorar a páscoa, mas não tiveram tempo para atender um necessitado que bateu em sua porta...


E sabe como se livraram dele? Simplesmente dizendo HOJE NÃO. Sem ao menos procurar saber qual era sua necessidade...pois estão muito ocupados com uma data que comemora a Ressurreição do Cristo.
Será que praticar o cristianismo é reunir-se com a família para comes e bebes em datas bíblicas.

HOJE NÃO. É a frase mais usada para se livrar do problema alheio.



"Aquele pai de família desempregado saíra de casa naquela manhã com o coração partido, pois deixará em casa esposa e três filhos sem pão, sem leite, sem esperança de almoço nem de uma vida melhor. Com uns trocados que havia emprestado no dia anterior comprou alguns agulheiros na 25 de Março para vender porta à porta. Não tinha outra saída. Não podia esperar de braços cruzados por uma nova porta de emprego devido as quatro bocas que tinha de alimentar além da sua, é claro. A luz já havia sido cortada há uma semana e se em três dias não pagasse a terceira conta de água atrasada também ficariam sem a tão necessária água. Mas agora no momento a maior preocupação era com o alimento. Recebeu uma promessa de que se ele carpisse um quintal de 500 mts na próxima semana, receberia cento e cinquenta reais. Daria para pagar pelos menos a conta mais antiga para assim prolongar mais alguns dias com água. 
     Mas naquela manhã ele estava animado porque era domingo de Páscoa e certamente as pessoas estariam com os corações aquebrantados, afinal a maioria da população daquela cidade era cristã católica ou protestante.
     Mas qual não foi sua decepção ao chegar as portas e constatar que a maioria estava muito envolvida com a comemoração. Alguns assavam carnes das mais caras nos próprios quintais ou faziam churrascos. Refrigerantes e bebidas não faltavam. Riam muito e falavam de assuntos diversos, menos de Cristo ou do significado da Páscoa. E quando ele tentava chamar a atenção de alguém que estava dentro da residência, ele só ouvia a mesma frase: HOJE NÃO. 
Então se perguntou, se aquelas pessoas sabiam o que estavam comemorando.
 
    Marinice Alves

Diz a lenda que certa vez Jesus resolveu se disfarçar de um pobre necessitado e foi até a porta de uma igreja grande e tradicional, onde tinham milhares de membros e lá, o EGO dos homens já havia corrompido a igreja, desta forma, quando Jesus (disfarçado de pobre) chegou na porta da igreja, foi abordado por um obreiro;

Obreiro: O Senhor não pode entrar na igreja sujo, descalço e fedido, pois aqui é a casa do Deus onde devemos vir com a melhor roupa!

Jesus: Mas eu sou pobre, não tenho outra roupa, não tenho sapato e faz dias que não tomo banho, pois moro nas ruas.

Obreiro: Vou chamar um diácono pra te ajudar.

Diácono: Sente aqui no fundo e fique quietinho, não faça escândalo e não chame atenção, senão te ponho pra fora.

Jesus: Mas eu vim buscar a Deus, quero adorar o Senhor, como eu posso ficar quieto diante da presença de Deus?

Diácono: Vou chamar o presbítero pra te ajudar.
Presbítero: O Senhor não quer levar umas roupas e alimentos? não foi isso que veio buscar aqui? toma aqui, pode levar, mas não arrume confusão.

Jesus: Obrigado, eu vou levar, mas eu não quero apenas esmolas, eu quero a salvação em Cristo, será que não posso mesmo participar do culto?

Presbítero: espere um pouco meu Senhor, vou chamar o Pastor e ele resolve.

Pastor: Escuta aqui rapaz, vamos parar de atrapalhar o culto, você já chamou atenção demais, agora pegue suas trouxas e vá embora, não perturbe os irmãos!

Jesus: Ok, desculpe, não sabia que não sou mais bem vindo na minha IGREJA, pois todo aquele que não atende um necessitado, não é meu discípulo.

E aí crente? como você tem atendido aos pobres e mais necessitados na igreja? você só quer receber os mais abastados? isso não é cristianismo e deixo aqui um versículo para sua reflexão;
"Bem-aventurado é aquele que atende ao pobre; o SENHOR o livrará no dia do mal." Salmos 41:1 


JESUS TESTANDO A IGREJA (leia e reflita)
(Enviado inbox por Pablo Martinez)

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

15 RAZOES PORQUE NAO POSSO SER TESTEMUNHA DE JEOVÁ



Os ensinamentos claros e cristalinos da Palavra de Deus não dão lugar a que se abrace as doutrinas das Testemunhas de Jeová após um estudo bíblico completo. Os ensinamentos básicos dessa seita estão em conflito com as Escrituras. Quinze dos seus erros doutrinários excepcionais foram abaixo relacionados e constituem razões sólidas para que ninguém se filie às Testemunhas se quiser continuar apegado a verdade divina.
 
1.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A DIVINDADE ABSOLUTA E SINGULAR DE JESUS CRISTO

As Escrituras demonstram que o Senhor Jesus Cristo é Jeová.
Isaías 41:4, 44:6, e 48:12 declaram que o atributo de ser o "primeiro e último" pertence a Jeová somente. Apocalipse 1:7-8,11,17 e 22:13-14 apresentam Jesus Cristo com exatamente esse mesmo atributo, fazendo dEle, portanto, Jesus Cristo, o Jeová dessas passagens, e de todo o Velho Testamento.
Isaías 45:22-25 fala de uma adoração universal, que um dia toda a humanidade prestará a Jeová. Filipenses 2:9-11 aplica esta passagem de Isaías a Jesus Cristo.
Isaías 44:22-23 apresenta Jeová como Redentor. Efésios 1:7 estabelece Jesus Cristo como esse Redentor.
Em Isaías 45:24 e 54:17 Jeová é a nossa justiça. Em 1 Coríntios 1:30 Jesus Cristo é a nossa justiça.
Isaías 43:11 reserva a Jeová somente a obra da salvação do homem: "Fora de mim não há Salvador." Tito 2:13 ensina que Jesus Cristo é o Salvador, estabelecendo-O, portanto, como o Jeová de Isaías, capítulo 43.
O estudante honesto das Escrituras há de ler, estudar e comparar os versículos acima apresentados.
 
2.  As Testemunhas DE JEOVÁ ENSINAM QUE JESUS CRISTO É UM SER CRIADO - SIMPLESMENTE UM OUTRO DEUS.
 
Este erro doutrinário foi criado pelas Testemunhas de Jeová através de sua estúria Tradução "Novo Mundo". que apresenta João 1:1 da seguinte maneira: "E o verbo era um deus". Isaías nega este erro enfaticamente em 43:10, 44:6 e 45:5,12, e prova que sua tradução de João 1:1 é ilegítima. Quatro vezes Jeová declara a impossibilidade de haver "um outro deus" ou "um deus" além dEle mesmo. Qualquer estudante honesto das Escrituras deve reconhecer a exclusividade única de Jeová.
 
3.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A PERSONALIDADE E DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO.
 
Das muitas referências bíblicas que demonstram que isto não é verdade, João 16:13-14 é a principal. Oito vezes o Senhor Jesus se refere ao Espírito Santo usando o pronome pessoal masculino "ELE". A palavra grega "ESPÍRITO" é neutra mas o pronome empregado não é neutro mas masculino. Cristo estava teologicamente certo nisto, reconhecendo a personalidade do Espírito. Se o Espírito Santo não fosse uma pessoa, o pronome neutro é que seria usado e a gramática da passagem ficaria intacta. Jesus Cristo, o Filho de Deus, JAMAIS COMETEU UM ERRO.
Até a própria tradução "Novo Mundo" das Testemunhas reconhece a personalidade do Espírito na tradução desses dois versículos. A divindade do Espírito Santo está claramente demonstrada nas referências abaixo que o estudante honesto deve estudar com todo o cuidado: Atos 5:3-4, 1 Coríntios 3:16, 2 Coríntios 13:14. Em 1 Coríntios 12:4-6 o Espírito Santo é chamado de Senhor, v. 5, e Deus, v. 6. Ao colocar Isaías 6:8-10 junto a Atos 28:25-27, toma-se evidente que o Deus de Isaías 6 é o Espírito Santo.
 
4.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A DOUTRINA BÍBLICA DA TRINDADE.
 
Embora a verdade da Trindade seja considerada divertida pelas Testemunhas, ela não obstante constitui parte da revelação de Deus. O estudante da Bíblia descobre que há uma Pessoa nas Escrituras, conhecida como Pai, que é Deus, Efésios 1:2. Há uma outra Pessoa nas Escrituras, chamada de Filho, Jesus Cristo, e que é Deus, Tito 2:13. Há ainda uma outra Pessoa chamada de Espírito Santo, que é Deus também, Atos 5:3-4. A palavra grega theos, "Deus". foi usada em relação a todas essas três Pessoas, concedendo assim a mesma divindade a cada uma delas. O estudante cuidadoso também nota o fato da Trindade em, Isaías 48:17, 28:19, 2 Coríntios 13:14. A conclusão é simplesmente que há um só Deus manifesto nas três Pessoas conhecidas como Pai, Filho e Espírito Santo e, considerando que cada uma dessas Pessoas é Deus, elas são iguais.
 
5.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A RESSURREIÇÀO FÍSICA E CORPORAL DE JESUS CRISTO.
 
A sua falsa doutrina declara: "O homem Jesus está morto, só o Seu espírito ressuscitou." O testemunho de Jesus Cristo é completamente diferente, Lucas 24:36-45. Mesmo um exame superficial do v. 39 desfaz qualquer dúvida referente à ressurreição corpórea. Tomé encontrou-se com o Cristo fisicamente ressuscitado, João 20:24-29, como também os outros discípulos que comeram peixe com Ele, João 21:12-14. Paulo testifica a ressurreição física de Jesus Cristo em 1 Coríntios 15:3-19. Os guardas junto à sepultura. os principais dos sacerdotes e o Sinédrio jamais teriam ficados, em Mateus 28:11,15, se "apenas o Seu espírito ressuscitasse".
 
6.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A VOLTA FÍSICA E VISÍVEL DE JESUS CRISTO.
 
Eles dizem: "Não devemos esperar que Ele torne a voltar como um ser humano". A volta fica mais adequadamente traduzida por presença e se refere à presença invisível do Senhor. Contrastando com isso, o estudante da Bíblia descobre que a verdade é que JESUS CRISTO VAI VOLTAR novamente, física e literalmente. Em Apocalipse 1:7, "todo o olho o verá". Em 1 Tessalonicenses 4:16-17, "o Senhor mesmo...descerá dos céus" E em Atos 1:10-11, "assim virá do modo como o vistes subir". O testemunho dessas passagens é irrefutável.
 
7.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A PRESENÇA DO CRENTE COM CRISTO APÓS A MORTE.
De acordo com 2 Coríntios 5:8, Filipenses 1:21-24 e Lucas 16:20-22, o crente, imediatamente após a morte, passa para a presença de Cristo. O corpo fica no solo, João 11:11-14, aguardando a ressurreição, 1 Coríntios 15:20-23, enquanto a alma e o espírito, agora separados do corpo, Tiago 2:16, entram no céu.
 
8.  As Testemunhas DE JEOVÁ REPROVAM A ESPERANÇA QUE O CRENTE TEM DE IR PARA O CÉU.
 
João 14:1-3, Filipenses 3:20-21, 1 Pedro 1:3-5 e Apocalipse 3:12 são apenas algumas das muitas passagens bíblicas que falam da "esperança viva" de estar com Cristo para sempre.
 
9.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A REALIDADE E ETERNIDADE DO CASTIGO FUTURO.
 
As Escrituras falam da realidade do inferno. O Senhor Jesus Cristo falou mais do inferno do que do céu e nos informou que o inferno é uma fornalha de fogo, Mateus 13:49-50, um lugar preparado para Satanás e os seus emissários, Mateus 25:41, de fogo que não se extingue, Marcos 9:42-48. Além disso, Ele insistiu no fato do inferno ser eterno. A palavra grega aionios, que traduz "aquilo que não tem fim". e que foi usada para descrever a vida eterna mencionada em João 3:16, e a eternidade de Deus em Romanos 16:26, foi deliberadamente usada por Cristo para descrever a duração do inferno, Mateus 18:8, e por João, em Apocalipse 14:11. Aionios não tem um significado duplo. Se ela quer dizer que Deus é eterno e a vida que o crente recebe é eterna, então deve significar que o inferno também é eterno.
 
10.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM A SALVAÇÃO PERFEITA DA CRUZ DE CRISTO.
 
Sem qualquer justificativa bíblica, as Testemunhas ensinam que o Milênio, os mil anos do reino de Cristo na terra, proporcionará a toda a humanidade, desde Adão em adiante, que ressuscitará, uma oportunidade, sob condições favoráveis, de receber a salvação eterna. Onde encontrar um único versículo bíblico que apoie tal coisa? O Senhor Jesus Cristo comprou nossa salvação na Cruz, Romanos 3:21-26, e resta ao homem crer e ser salvo, Efésios 2:8-9 e Atos 16:30-31. A salvação é totalmente a parte de qualquer esforço humano, Romanos 3:27-28.
 
11.  As Testemunhas DE JEOVÁ NEGAM O PATRIOTISMO E A CONTINÊNCIA À BANDEIRA.
 
As Escrituras ordenam aos crentes a serem cidadãos leais. O estudante cuidadoso verá isto em Romanos 13:1-7, 1 Pedro 2:13-15 e Mateus 22:21.
 
12.  As Testemunhas DE JEOVÁ ESTÃO CONFUSOS QUANTO AOS 144.000.
 
Através de boas obras e esforço sincero uma Testemunha de Jeová tem esperança de se tornar um membro do grupo dos 144.000. Nos dois capítulos em que foram mencionados os 144.000, Apocalipse 7 e 14, o estudante das Escrituras nota que os 144.000 são, realmente; Judeus das tribos, sem gentios entre eles, 7:4-8, são todos homens, 14:4, servirão durante a Grande Tribulação, 14:6-13, e não receberão a sua posição mediante obras mas serão designados por Deus, 7:3. Por mais que se force a imaginação. nenhuma interpretação bíblica aceitável pode garantir a essa seita gentia posição entre os 144.000.
 
13.  As Testemunhas DE JEOVÁ USAM UMA TRADUÇÃO DETURPADA DA BÍBLIA.
 
A Tradução "Novo Mundo" das Escrituras Gregas Cristãs é uma tradução desajeitada do Novo Testamento, que não tem nenhuma reputação entre os mestres do grego. A tradução foi alterada para se encaixar na heresia. Por exemplo. a palavra allos. "outro". não aparece no texto grego de Colossenses 1:16-17, mas foi inserida quatro vezes em sua tradução para que Cristo apareça ser parte da criação e, desse modo, se encaixe em sua doutrina que afirma ser Ele um filho criado, um outro deus. "?.porque por meio dEle todas as coisas foram criadas". Esta e dezenas de outras passagens tornam a tradução "Novo Mundo" em uma caricatura da Palavra de Deus.
 
14.  As Testemunhas DE JEOVÁ TEM UM SISTEMA DOUTRINÁRIO QUE SE BASEIA NAS INTERPRETAÇÕES DE CHARLES TAZE RUSSEL.
 
Em 1874. um camiseiro do Brooklyn, chamado Charles Taze Russel, anunciou que era dono da verdade. Em suas muitas obras Russel "não deixou quase nenhuma grande verdade ou doutrina fundamental não tocada com suas conclusões heréticas e injustificadas". Dr. Win. E. Biederwolf. Conforme um cuidadoso estudo pode revelar, as obras de Russel servem de base fundamental para a estrutura das Testemunhas de Jeová. Atualmente as Testemunhas de Jeová estão seguindo as conclusões falidas de um patife que se divorciou de sua esposa, teve problemas com os tribunais e que enganou seus seguidores vendendo-lhes "trigo milagroso" a preço exorbitante, o qual ele proclamava que produzia 15 vezes mais do que o trigo comum.
 
15.  AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NEGLIGENCIAM A VASTA ÁREA DE VERDADES BÍBLICAS.
 
Uma análise cuidadosa dos diversos livros, panfletos, e revistas editados pela Torre de Vigia revela que apenas uma pequena porcentagem Bíblica foi por eles usada. Eles não citam mais de 7% das Escrituras, deixando o restante da Palavra de Deus não mencionada.


Autor: Robert Mignard
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br







                                 Na Paz,


segunda-feira, 28 de julho de 2014

ELIABE. O HOMEM QUE DEUS REJEITOU.


"Sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse consigo: Certamente, está perante o SENHOR o seu ungido. "Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração” (1Sm 16.6,7).

Tudo aconteceu por volta do ano 1000 a.C. A nação de Israel estava um caos. Crises de todos os tipos e tamanhos assolavam as tribos de Jacó. Saul, o primeiro rei de Israel, perdera completamente o rumo e a direção do seu governo. A constante desobediência do monarca para com o Senhor o fez perder definitivamente o domínio da nação. Deus rejeita Saul e escolhe um novo sucessor. Quando Samuel, o grande juiz e profeta de Israel, partiu para Belém a fim de ungir um dos filhos de Jessé, Deus não havia revelado ao seu profeta qual filho de Jessé ele deveria ungir.
Samuel tinha verdadeira intimidade com o Senhor, por isso, assim que viu Eliabe achou que naquele momento o seu coração também fosse um só com Deus. Mas estava enganado. A Bíblia relata: "Sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse consigo: Certamente, está perante o SENHOR o seu ungido" (1Sm 16.6). O que levou Samuel a pensar assim? Eliabe era um jovem de boa aparência e estatura, o que por certo lembrava Saul (1Sm 9.1,2; 10.23,24). Um sucessor que lembrasse algo de bom do seu antecessor aparentemente faria uma transição de governo menos traumática. Mal sabia Samuel que Deus queria apagar de diante de si qualquer referência a Saul.
Outra questão que Samuel deve ter considerado favorável a Eliabe, como um possível candidato ao trono, era o fato de ele ser o primogênito de Jessé. Nos tempos bíblicos era comum conceder ao filho mais velho honra dobrada. Na ausência do pai o primeiro filho estava investido de autoridade sobre seus irmãos. Sua posição só era inferior a de seu pai. O privilégio da primogenitura era grandemente apreciado. Contudo, o filho mais velho podia ficar sem os direitos de primogenitura em caso de algo muito grave cometido por ele (cf. Gn 49.3,4; 1Cr 5.1,2). Tudo indica que aos olhos de Deus Eliabe já não era mais o primogênito, no verdadeiro sentido do termo. Algumas das razões pelas quais Samuel pensou que Eliabe fosse o ungido do Senhor foram ditas pelo próprio Deus: "Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração” (1Sm 16.7; cf. 1Cr 28.9).
Será que Samuel acreditava que o porte físico era realmente o critério de Deus para a escolha de um rei? Será que o profeta do Senhor se deixou levar simplesmente pela aparência e estatura de Eliabe? Lembremos que Israel passava por uma crise tremenda. Religiosa e politicamente a nação não estava bem. Era preciso reverter esse quadro tenebroso o quanto antes. O povo não aguentava mais. Samuel não aguentava mais. No entanto, os pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos e os nossos caminhos não são os caminhos de Deus (cf. Is 55.8). Acredita-se que desde o momento da unção de Davi até sua subida ao trono houve um período de aproximadamente quinze anos. Quer dizer, Deus levaria cerca de quinze anos para restaurar Israel! E por quê? Porque Deus não está em crise. Ele está acima das crises. Ele sabe o que faz e como faz. Por isso ele age no tempo certo. Não chega antes e nem depois. Deus age na hora certa.
Portanto, não foram simplesmente a aparência e estatura de Eliabe, ou mesmo o conceito de primogenitura, que levaram Samuel a pensar que o filho mais velho de Jessé fosse o sucessor de Saul, e sim, o fato de Eliabe ser um homem feito. Na concepção de Samuel, Eliabe estava pronto para subir ao trono naquele mesmo dia e no dia seguinte pôr a casa em ordem. No entanto, os planos de Deus eram outros, como Samuel logo haveria de compreender (1Sm 16.10-13).
Ficaremos sem saber ao certo por que Deus rejeitou Eliabe. Seria essa rejeição a mesma nos moldes daquela destacada por Paulo em Romanos 9 quando se referindo a Esaú e Jacó ele diz: "Como está escrito: Amei a Jacó, porém me aborreci de Esaú" (Rm 9.13)? Com certeza não, visto que em Romanos Paulo está tratando da "eleição da graça" (cf. Rm 11.5) ou, como ele mesmo explica, "E se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça" (Rm 11.6).
Se no caso de Esaú sua rejeição por parte de Deus foi sem obras, em 1Samuel 16.7 a rejeição de Eliabe foi por obras. Eliabe fez alguma coisa que o desqualificou para sempre diante de Deus como o provável sucessor de Saul. Seria Eliabe um mau caráter? Teria Deus rejeitado Eliabe por alguma coisa de errado que este pensara ou fizera contra Davi? Não sabemos ao certo, apesar do único diálogo de Eliabe com Davi registrado na Bíblia não ser de bom tom.
Quando Jessé enviou Davi a seus irmãos com mantimento, porque estavam num acampamento militar, e Davi começou a se interessar com o que ali estava se passando, "Ouvindo-o Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se-lhe a ira contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? E a quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a tua maldade: desceste apenas para ver a peleja. Respondeu Davi: Que fiz eu agora? Fiz somente uma pergunta" (1Sm 17.28,29). A réplica de Davi: "Que fiz eu agora?", sugere que o irmão mais velho o perturbava há algum tempo.
O que sabemos com certeza é que Deus não queria Eliabe como rei do seu povo. Deus vê o coração. Eliabe não era um homem segundo o coração de Deus, como seria Davi (cf. At 13.22). O coração de Eliabe não era tão bom quanto a sua aparência física. Ele não era um candidato apropriado. Sua aparência era tão enganosa como foi a de Saul.
A lição a ser aprendida nesta história é: As aparências enganam, mas Deus conhece os corações. Mais do que conhecer a Deus é ser conhecido por Deus.
É preciso nos ajustarmos à maneira divina de avaliar as pessoas.

Postado por: Josivaldo de França Pereira


http://prjosivaldo.blogspot.com.br/2011/10/eliabe-o-homem-que-deus-rejeitou_6484.html







 Na Paz,
                                                                      

domingo, 27 de julho de 2014

IGUAL GELO NAS MÃOS


                                                                  


   Hoje está um dia ensolarado. É uma tarde de Domingo e ao contemplar seus rostos tão maduros, sorrindo, falando de negócios e de situações passadas, me pergunto:
“Onde eles estão?” Olho para cada rosto detalhadamente e sinto saudades deles. Eles não fazem ideia de quantas imagens, cenas e momentos me passam pela mente neste instante tão sublime. “Onde eles estarão nesse exato momento? Em qual estação desceram?

É uma sensação estranha, desconfortável , aterradora, maravilhosa... Não, não! É uma sensação de vitória. 
Espere! Ou será de perca?!
A verdade é que ainda não consegui definir esse sentimento...aquele momento em que tenho que admitir que a água evaporou...


Em não raros momentos tenho vontade de confessar para eles o quanto sinto sua falta. O quão difícil está sendo viver sem eles. Mas você sabe qual seria a resposta?
   - Mas estamos sempre aqui com você!
É obvio que eles nunca se deram conta de que são igual PEDRAS DE GELO. Somente poderão compreender-me quando alcançarem suas próprias pedras de gelo.


No freezer está uma caçamba de gelo. Já estão bem firmes. Podem sair de lá. Igual ao bebê no útero da mãe aos 9 meses.  Nesta estação ela tem controle total sobre ele.


Ao nascer, é igual pegar gelo na palma das mãos. É difícil, mas ela pode suportar a dor e os manter ali. Mas o próprio calor de suas mãos, faz com que o gelo comece a derreter. Quanto mais ela cuida do bebê, mas rápido ele cresce e vai para a próxima estação: A ESTAÇÃO CRIANÇA. 
Também dá trabalho e muita das vezes a deixa descabelada. MAS ELA AINDA TEM COMPLETO DOMÍNIO SOBRE ELA. Ela ainda pode segurar o gelo em suas mãos. É claro que a essa altura suas mãos já estão queimando, mas ela não desiste e tenta segurar as pedras com mais força.

Mas como o tempo não perdoa e nem respeita ninguém, vem uma estação chamada:PRÉ-ADOLESCÊNCIA.
 É nesta estação que ela percebe que o gelo não está tão solido quanto antes.  Os pais descobrem que seus bebes já não são mais bebes, mas seres humanos com vontades e desejos próprios. O menino já não quer aceitar que ela faça aquele penteado que o deixa parecendo um homenzinho. E a menina não aceita mais pôr aquele vestido tão lindo que ela mesma confeccionou com tanto amor...
Nesta fase eles começam reivindicar seus próprios gostos e interesses. 

Há uma percepção do que esta por vir, e um temor pela próxima estação. E dentro deste trem chamado vida, ela ouve o alarido do auto falante gritando o nome dela!
   -“ESTAÇÃO ADOLESCÊNCIA“ Pedimos por gentileza que mantenha a calma, respire fundo e conte com a ajuda de Deus para passar por ela!

É nesta estação que ela se dá conta de que o gelo está derretendo em suas mãos e escorrendo entre seus dedos.
   Engana-se quem pensa que apenas eles, os adolescentes ficam confusos nesta fase. Os pais ficam em pânico (pode ser este o motivo de ficarem tão ranzinzas com os filhos nesta estação. Aqui para nós, isso não passa de uma forma de defesa onde escondem seu medo de perder seu bebê.)

Na ESTAÇÃO DA MOCIDADE já é visível que todo o gelo derreteu e os últimos vestígios de água estão escorrendo de suas mãos. Nesta fase ela sente que precisa desesperadamente de algo que possa garantir sua ligação com eles. É aí que ela estreita seus laços com Deus. Pois reconhece que Ele é o único que pode garantir seu contato com eles 24 horas por dia.


Nesta ultima ESTAÇÃO a água evaporou. tornaram-se ADULTOS.

Mas como água que evapora geralmente retorna em forma de chuva, assim são eles. Geralmente nos finais de semana e feriados cai uma tempestade em seu lar e ela se alegra recordando momentos de quando eles ainda eram gelo...


E nesta tarde de Domingo, olhando para minhas seis pedras de gelo. Sinto saudades deles em todas suas fases. E é neste momento que as vezes entro no meio da conversa delas, chamando a atenção para uma foto antiga ou um fato engraçado de quando eles ainda eram crianças. 
E sorrateiramente, não deixo que percebam que esta é a forma que tenho de dizer-lhes que os amo e que eles para mim nunca deixaram de serem minhas PEDRAS DE GELO... 
MEUS BEBÊS....  (Autora: Marinice Alves Cardoso)



Finalmente! Consegui reunir todos os meus filhos em uma só foto! É difícil poque a ninhada é grande! rs











                                           Na Paz, Marinice Alves



sábado, 10 de maio de 2014

MAMÃE QUERIDA???





- Mãe, vem ver o que está acontecendo com meu  hamsterfalou o menino desesperado tirando o hamster  da gaiola.
- Esse bichinho vai morrer e é por sua culpa! Você é teimoso demais. Vai se dar mal na vida. falou a mãe enquanto observava pela janela o outro filho que brincava na rua Sai da rua, troço, passa pra dentro!
O menino, tentando salvar seu bichinho de estimação, insistia:
- Mãe, ajuda aqui, por favor...!
- “Larga logo esse troço e vai pra iscola!” – tomando o animal do menino e jogando-o no lixo.

- Mãe! Não faz isso com o Tito....
- Cala a boca senão vou bater nela!
-Eu nunca devia ter nascido... – disse o menino em soluços enquanto pegava seu material escolar.
 
- Ah, você não devia ter nascido, é? Mas agora é tarde, a besteira já foi feita. Você tem que pastar bastante pra aprender. Só faz o que não presta, falei pra não pegar esse bicho que não ia dar certo.
 
Em seguida o garoto de seus doze, treze anos, sai de casa para ir à escola: mão nos bolsos, mochila nas costas, ar indeciso e passos lentos... Volta-se para cima ao ouvir a mãe gritar mais uma vez, agora da janela do sobrado humilde em que moravam:

- Toma! – a mãe joga duas canetas da sacada na direção do garoto – e vê se vai com a cabeça pra “iscola” presta atenção na lição, e anda logo que já tá atrasado, “disgrama”! Se não entrar na “iscola” você vai ver o que é bom pra “tossi”! em seguida ela se volta para dentro e continua gritando com os outros filhos em idade pré-escolar


Ao chegar a escola o garoto percebeu uma certa euforia: Estavam as vésperas do Dia das Mães, e na lousa havia uma nota: FAÇA UMA REDAÇÃO SOBRE AS MÃES. Obs. Inclua as palavras mais doces que sua mãe já lhe falou. (DICA:Mãe é amor, afeto, carinho, bondade, ternura...)

- “Fessôra”! falou o garoto meio confusotem que escrever sobre as mães em geral, ou sobre minha própria mãe?
- É para descrever sua mãe, Ricardo.
- Mas tem de usar estas palavras da lousa?
- Certamente.
– respondeu a professora, dando sinais de impaciência.
- Ah, “fessôra”, então não vai dar não!
                                                     
                                By Marinice Alves

domingo, 23 de março de 2014

"IRAI-VOS, MAS NÃO PEQUEIS."


NÃO TEMOS DOMÍNIO SOBRE NOSSOS SENTIMENTOS, MAS TEMOS SOBRE NOSSOS ATOS.

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Efésios 4:26

O Senhor em Sua infinita misericórdia entende nossas fraquezas, que estamos sujeitos a sentimentos tanto de amor, por pessoas indevidas, quanto de ódio.




 
Irar mas não pecar, como é isso?
A ira é um sentimento que independe da nossa vontade, vem e pronto. Não é pecado ficar irado, mas a ação danosa que se segue à ira, e que passa pela consciência, pelo entendimento, deve ser evitado.


 Leia este texto de
Martha Miguel e entenderá melhor.
 Neste mundo onde a agressividade tomou conta das ruas, das escolas e das casas, as famílias não se entendem, pai agride filho, filho agride pai, os idosos são maltratados, as crianças molestadas, e há mortes todos os dias por balas perdidas; as guerras não têm fim, entre as nações e nas nossas vidas. É um mundo rodeado de injustiças, o que tem tornado os homens cada vez mais agressivos, e os danos pessoais, familiares e sociais são, muitas vezes, irreversíveis.
O que dizer de tudo isso, onde a humanidade se perdeu? Como estancar este descontrole?
No nosso Grupo, temos colocado em discussão todo conhecimento que propicie usar a Inteligência Emocional positivamente, evitando conseqüências danosas.
A ciência tem comprovado que, quem souber administrar bem suas emoções, levar inteligência a elas, e ter domínio próprio, terá um diferencial em todas as áreas de sua vida: no relacionamento amoroso, no trabalho, na vida social, ministerial e familiar. Ainda, fará um bem à sua saúde, evitando muitas doenças, e criando possibilidades para ter longevidade e qualidade de vida.
Um dos sentimentos que, mal conduzido, pode colocar tudo isso em risco é a IRA.

A ira (cólera)
“é um impulso momentâneo, limitado em si mesmo, a que todos nós, em maior ou menor grau, estamos sujeitos.”
Seria ideal se não precisássemos experimentá-la, porém, uma vez irados, necessário se faz dar vazão, e é exatamente na forma de extravasar a ira que nos diferenciamos uns dos outros. Há quem aconselhe sapatear, esmurrar uma almofada ou colchão, ou gritar... resolve?

Outros são da opinião que, “Se eu entrar em ação, a emoção se consome no próprio ato.” É visível esta afirmação quando pessoas iradas agridem a outras, e instantaneamente se aquietam como se nada houvesse acontecido.
É verdadeira a necessidade de se liberar as emoções, dizer o que está sentindo, não reprimir a ira, que certamente se transformará em raiva (ódio), ou ressentimento.
O segredo está em como entrar em ação num momento de ira, sem praticar insanidades!

FUNDAMENTOS BÍBLICOS

Irar mas não pecar, como é isso?
A ira é um sentimento que independe da nossa vontade, vem e pronto.
O pecado, ação danosa que se segue à ira, passa pela consciência, pelo entendimento, e deve ser evitado.

PV. 14:17 diz: “O que facilmente se ira faz doidices, e o homem de maus desígnios é odiado.”Quem tem prazer em estar ao lado de pessoas que têm “pavio curto”? É muito desagradável, são pessoas que se expõem e acabam expondo os outros ao seu redor!
Por outro lado, existem as que carregam por toda uma vida, em silêncio, rancor por outra pessoa, por situações que esta outra nem tem conhecimento de que existiu.
A ira contida gera a raiva (o ódio). Quando não damos vazão a esse sentimento, ficamos a todo instante revivendo-o, e ele se converte em ressentimento.
A Palavra diz “...não se ponha o sol sobre vossa ira...”. O Apóstolo Paulo nos alerta a não guardar o sentimento ruim, não carregar para o outro dia, não deixar que o nosso coração acolha ressentimentos.
Ecl. 7:9 diz “Não te apresses no teu espírito a irar-te, pois a ira abriga-se no seio dos tolos.”A raiva (o ódio), é um sentimento potencialmente destrutivo, para aqueles que o sentem, fazendo-os prisioneiros por toda a vida, “remoendo” o objeto da raiva. Poderíamos nomear esse sentimento, de “falta de perdão”.
Ter domínio próprio não é “engolir o choro”, “passar batido”, “fazer como se não visse”. É ter controle das emoções para agir e reagir adequadamente sem precipitações, utilizando o bom senso.

A Bíblia nos diz em Gálatas 5:17 “...a carne deseja o que é contrário ao Espírito, e o Espírito o que é contrario a carne.”
A ira é um sentimento imaturo e primário, que tem como objetivo a satisfação imediata de sua inquietação.
Porém, quando temos a nossa mente renovada pela Palavra de Deus, a ira pode ser domada e extravasada de forma construtiva.
Gálatas 5:22 “.....Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.”Nós somos seres agraciados com a inteligência, temos a capacidade de nos expressar por palavras, instrumento de grande valor para a comunicação entre os homens. Porém, desde cedo somos ensinados que confessar, aos outros, o que realmente sentimos, é sinal de fraqueza, principalmente se for algo que nos inferioriza, ou se implicar num pedido de perdão, algo tão difícil para se fazer.

Já discutimos aqui sobre de que maneira as emoções vêm, e vão, independente da nossa vontade e por isso, contê-las, não deixar que a fala expresse esses sentimentos, nos faz procurar outra saída, nem sempre a melhor. De acordo com os cientistas, as emoções “falam” com a “linguagem dos órgãos”, ou seja, o adoecimento de um determinado órgão pode ser a forma inconsciente de o indivíduo mostrar seu sofrimento (doenças psicossomáticas, doenças da alma).

Atualmente já se tem comprovado o quanto as emoções podem afetar o organismo do homem, trazendo muitas enfermidades.
Em PV. 28:13 diz: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”.
Tiago 5:16 “Portanto, confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.”


Você precisa refletir como anda o seu domínio próprio, e como a Palavra de Deus pode lhe orientar nas situações de ira, evitando a gritaria, a violência verbal ou física, o abismo entre você e os seus amados, o prejuízo à saúde e às outras áreas da sua vida.
Salmo 37:8 – “ Deixa a ira, abandona o furor; não te impacientes; certamente, isso acabará mal.”

Uma prática de resultados excelentes é o “desabafo”, que consiste em não estar só, dividindo com pessoas de confiança, em condições de ajudar, a sua impotência para lidar com estes sentimentos, e deixar-se transformar, mudando o seu comportamento.
Confessar o que sentimos uns aos outros, é remédio para o corpo e para a alma. Compartilhar a tristeza, expor a dor, é como se dividisse, aliviasse as perdas, as angústias.

Nunca guarde sentimentos que te incomodam, busque uma forma adequada para se livrar deles, esse peso você não precisa carregar!                (Martha Miguel)








                                Na paz,